Postagens

Mostrando postagens de 2015

Então é Natal!

Hoje é, literalmente, Natal. Já se foi a véspera. Já se foram as músicas, as comidas e os presentes. Os amigos secretos não são mais tão secretos assim. Acabou. Ou tá só começando? Sempre quando chega dezembro a nostalgia do ano que passou vem me embrulhando o estômago. Mas esse ano... Olhe, vou te contar! Com todo direito a duplo sentido, isso mesmo! Posso dizer que foi um ano de brincar de roda gigante. Os altos e baixos estavam muitíssimo equilibrados, muito obrigada. Cada alto que pensei que fosse virar do avesso de felicidade. E cada baixo que pensei que o chão estava a desabar aos meus pés. Mas nem liga, o drama mora na veia. Cada alto e baixo teve sua dose de licor de exagero. Mas o que seria do Natal sem os exageros não é mesmo? Esse ano foi o ano da família! Minha mãe, como sempre, foi mãe, pai, suporte, bronca, lutadora de MMA de todas as horas. Descobri esse ano a família maravilhosa e atenciosa que tenho. Curti a chegada da pequena Maria Clara e estamos ansiando pela vinda da Yasm…

Aquele dia

Eu escrevo emoções. Datas. Conversas. Sentimentos. Amores. Dores. Eu escrevo por que vivo, vivo por que escrevo. Dia 16 é dia dela. Como não (des)escrevê-la? Ela é tudo que tenho de mais vivo em minha vida. Estar com ela é como se fantasiar de roupa fluorescente na luz negra no escuro. Não dá para passar desapercebido. Mas, também, quem quer passar desapercebido nesse mundo? Como diz a Sara Bareilles, ela é imperfeita, mas tenta. Ela é atrapalhada, mas é bondosa (essa eu traduzi para você). Tenho certeza de que sou igualzinha a ela. Ela é como um caminho. O caminho bom a se seguir. Sei que, por onde ela for, eu devo ir atrás. Com ela, me sinto segura. Dá para ser frágil e porto seguro ao mesmo tempo? Eu odeio vê-la chorar, o que ela faz muito pouco. Ao contrário de mim, que sou uma torneira ambulante. Mas quando ela chora, o céu parece que escurece. O Sol se esconde até a tormenta passar. E a tormenta sempre passa, como ela me ensinou. Não há dor que dure para sempre. Quando preciso, ela fec…

Dia do professor!

Hoje é mais um dia especial. Hoje é dia do professor! Se pudesse, voltava no tempo para dar aos meus professores das épocas longínquas um abraço daqueles! Eles me foram e continuam sendo de grande valia para a construção do que é ser um ser humano. Foram meus professores que me ensinaram a contar (e não é culpa deles eu não saber a tabuada de cor). Foram os professores que tive que me ensinaram o poder das palavras, com todas as suas letrinhas juntas. Eu ainda lembro bem de cada um que tive. Foram tantos, mas eu me lembro. Lembro da Ironeuma, minha primeira professora de que tenho memória. Como era gostoso brincar suas brincadeiras, dançar e cantar suas músicas. Foi no tempo de criança que aprendi a gostar de se comunicar. De escrever. Quem eu seria sem minhas inúmeras professoras de português, que me ensinaram a mágica das histórias. Tudo bem, também tiveram os professores de matemática, de ciências e até mesmo de educação física (que sufoco fiz esses passarem)... Se hoje estou crescida, …

Dia de ser ponto e vírgula

Hoje é um dia para se pensar. No dia de hoje, eu penso no passado. Em tudo que já deu de errado e em quanto eu quis desistir. Penso no sofrimento que é quando a gente acha que nada mais está certo. Penso na dor que senti e que tantos hoje sentem, quando o buraco é mais embaixo. Não precisa ter motivo para querer desistir. Largar tudo, fugir. É exatamente a falta de motivos que faz isso. Você de repente não tem mais motivos. Para continuar trabalhando, para estudar, para acordar de manhã (é uma força tremenda até hoje), para viver. Eu sei por que já passei por isso. Se cada um que acha que depressão não é doença, é besteira - ah, só depende de você! - me desse uma moeda... Se cada vez que eu escutei que - você nem está tentando, eu ganhasse um real sequer... Já estaria rica! Penso hoje na minha amiga Heloísa. E em sua mãe, chorosa, na sua missa. Penso nos asiáticos que não conheço e que sucumbiram à esse mal. É com tristeza que penso neles. é por eles que hoje eu vivo. Hoje, é o dia deles. …

Sentir falta ou apenas sonhar?

O mundo é um lugar estranho. Nós podemos até pensar que não de uma primeira vez. Achar que está tudo certo, é assim mesmo, só depende de nós e coisa-e-tal. Mas o mundo, ah o mundo... Ele é um lugar muito estranho! Não há voltas, se se arrependestes terá que viver com isso pelo resto de tua vida, mesmo que essa vida seja já outra vida, em outro corpo, outro nome, outro alguém. Há aqueles que te cativam, só para depois partirem. Isso é justo? Eu te pergunto! Eu só queria esquecer, como todo mundo. Viver num mundo de ignorância. Por que uma vez que sabemos, tudo é responsabilidade. Não há voltas. Sempre há aqueles que não sabem de nada, e vivem bem, felizes. Achando que aquilo é tudo que tem para hoje. Eu sinto falta do que ainda não me aconteceu. Quero viver num mundo de ponto-e-vírgulas, mas eu sou apenas reticências. Uma dúvida eterna que me assombra. Eu quero gritar para o mundo que não sou assim. Quero ser ativa, receptiva, animada, viva. Mas dentro de mim parece estar tudo num torpor de mor…

Raciocínio linear, para quê?

Eu acho que tenho um raciocínio meio atrapalhado. Não penso linearmente. Sou um emaranhado de coisas que pensa sem constantes. Feels good. Quando estou escrevendo, penso nas coisas que vão acontecer no texto, mas quando vou ler, vejo que as coisas não estão acontecendo na ordem certa, e aí tenho que sair mudando as coisas de lugar. Não é muito prático. Também me perco no meio do caminho. É como pegar um ônibus que acabou de mudar de rota, sabe? Você acha que está no caminho certo, mas tudo parece errado e diferente. No final, você acaba chegando onde queria, mas só depois de ter se perdido todo. As vozes na minha mente, são elas que eu culpo. Ficam me atrapalhando... Viu? Já mudei de assunto!

Carta de apresentação

Olá,
Boa noite.
Sou Gabriella Maciel e acho que estou entrando em parafuso.Hoje estava escrevendo uma carta de apresentação para mandar um currículo para uma empresa. Até aí ok. Mas e quando sua vida começa a mudar completamente e você não tem ideia de para onde está indo, ou nem mesmo como ou com quem, mais importante ainda. Foi quando percebi que não sei quem eu sou. Como se escreve uma carta para apresentar alguma coisa que você nem mesmo conhece? É difícil, rapaz. Eu não sei quem sou. O que quero da vida. Para onde devo ir. Que caminhos seguir e a quem me apegar. Já ouvi dizer que sou muito receptiva. Será? Sei que me entrego. Quando algo me cativa, me  entrego por inteiro, sem voltas. Isso às vezes dá uma dor... Dor de frustração, primeiro. Todo mundo sabe que quanto mais alta é a expectativa, mais alta é a queda. Isso acontece comigo sempre, sabe? Eu nunca tenho controle das minhas expectativas. Sempre fui de sonhar demais. Viver de menos.  Sempre fui daquelas de almejar coisas grandes dem…

Amor marginal

Ok, então a paixão é uma coisa complicada. Disso eu já sabia. Mas é mais do que isso. O amor, esse sim, é difícil de lidar. É um tal de um amor marginal. Ele rouba seus sentidos, você fica boba, como em um assalto. Mas a paixão, ela assalta à mão armada. Ela atira certeiramente. Primeiro, vem aquele sorriso de lado. Sua imagem na minha cabeça, constantemente. Imaginando nossos primeiros momentos. Será que serão os últimos? Mas não é real. O tiro saí sempre pela tangente. Batendo em todas as paredes que encontrar. É uma metralhadora. Atirando em todas as direções. Era assim que eu achava que ia encontrar você, com um tiro no coração. Mas seja o que for. Não precisa também ficar me julgando. É só uma paixão. Dessas que passam com o tempo (e a distância!).

Sozinha, para virar poesia

Pra virar poesia, vale qualquer coisa? Vale chorar, vale fugir, vale gritar? Vale sofrer? É como se o peso fosse demais, mas depois as letras tomam de conta. Invadem a mim como vírus, ficam se multiplicando e fazendo sua mágica. As palavras que sozinha não significam nada, os sonhos que não tem sentido. Tudo me assusta. É incrível como na rua você está sozinha. Não há outra saída. É voltar mesmo! Por mais que em casa seja ruim, na rua é pior. O medo toma de conta, não há nada de singular nisto. Eu gosto de gente, de estar perto, de fazer carinho.

Devo continuar?

Eu sou a autora agora.
Tudo se resume nesse momento: agora.
É aquele ponto em que posso parar ou ir adiante.
O que escolher?
Como escolher?
Vai ser ponto e vírgula ou ponto final?
Eu quero continuar. Eu quero ser alguém, ver o mundo, ver as pessoas, viver.
Mas parece difícil demais a caminhada.
Será que você vai estar lá no final?
Tudo que tenho são as minhas perguntas.
Sem respostas.
Quem sou eu?
Para onde estou indo?
Será que vou conseguir sem você?
Fique aqui.
Só mais um pouco.
Não me deixe ainda,
senta, tem bolo.
Não puxe o gatilho ainda.
Há tanto o que ver, o que ser, o que sentir.
Não me ame demais,
eu não sei corresponder.

Resenha de uma vida

Tudo começou aos poucos. Como deve ser. Um dia de verão, ela nasceu. E com ela, muitos sonhos. Aos cinco já pensava em ser escritora, poetisa, literária que fosse. Aos doze achava que o mundo eram suas palavras, e nada podia mudar. Mas mudou. As palavras viraram sentenças de vida. Seus sonhos cresceram até não caberem mais em sua cabeça avoada. Escreveu. Pôs tudo para fora. Até que deu certo. Tudo parecia estar se encaixando, finalmente. Seus pais se separaram na idade de dez para onze. Como se lembrar disto? Ela pediu para ele escolher, ele escolheu. Disse que não, para não magoá-la. Mas escolheu. E ela soube, soube que era aquele momento que a marcaria para sempre em seu relacionamento. Sua mãe era seu sustento, mas mal sabia ela que seria ainda muito mais, mais do que poderia imaginar! Alguns anos depois, a vida foi correndo. Andando para lá e para cá, ela nem se percebeu vivendo. Foi fácil até. Ou será que foi difícil? Hoje ela mal se recorda, mas ela sentiu fundo, tudo aquilo. Dentro …

Sobre mudanças.

Tudo muda. Uma hora somos melhores amigos, na outra: estranhos que mal se falam. A vida é assim mesmo. O que fiz para te perder? Você costumava ser o único, o melhor entre todos. Mas agora? Agora só lágrimas manchando fotos antigas da gente. Todo um momento se passou e eu fiquei presa. Acorrentada naquela lembrança. As fotos penduradas na parede do meu quarto? Vão continuar lá. Esperando por você voltar. Me lembrando de quanto eu era feliz e não dava valor. Eu sei que te causei dor, apenas dor, mas e você? O que causou em mim? O que são essas chamas ao redor de meus olhos? Desespero de não te ter mais. Você ainda existe dentro de mim, não é mesmo? Eu sei, eu te sinto, a cada momento!

Na alma tua.

Ele pegou na minha mão. Por um segundo pensei ser meu. Por um segundo achei que fosse certo. Mas ele soltou. Soltou a mão, e a realidade bateu forte no peito: não. Qualquer música que escuto me lembro dele. Ah, esse meu coração que teima em te querer. É um querer mais que bem querer. É não ser suficiente, sabe? É ter aquele anseio de tudo. Do toque, do sorriso, do beijo. De tudo que nunca tive dele. Ele tomou um gole da água - cerveja está tão fora de moda. Me olhou de lado. E eu? Me apaixonei. Virei dele. Para ele. Com ele. Sempre ele. Assobiou um verso. Aquela música que ele não sabe que é nossa. Será que já escutei essa melodia antes? Meu cabelo voa, um talher cai. E se foi. Eu estive lá, só por um momento, dentro da tu'alma.

Eu queria morrer de amor.

Morta matada ou morte morrida. Tanto faz. O importante é o amor, não é a morte. Mas não me leve a mal, só não me leve ainda. Há tanto o que ver e sentir. Há tanto o que amar! Queria um romance de livro. Desses de sofrer muito, sabe? Quero sofrer por amor. Sofrer e amar. Amar é sofrer. Mas quero sofrer um sofrimento correspondido. Por que sofrer sozinho não é amor. É tortura. Quero que todos saibam que amo. Pode ter seus defeitos, ser mal visto, mal falado, comentado. Mas, se falam, é por que existe, não é mesmo? Quero um amor que exista. Que seja fato, contado, falado, mais do que provado. Quero um amor que me chame de "coisa linda", mesmo eu não sendo. Quero um amor. E ponto. E ponto e vírgula. Quero amar de amor. Quero transbordar de amor, quero viver de amor, quero respirar teu amor. Quero pulsar. Veia que pulsa é veia viva, cheia de vida, de anseios. Coração não guarda nada, pulmão só respira, a pele, transpira. É o cérebro que tem segredos. E deles não aguento mais. Não vou seg…

Dia dos pais e show do tiago iorc?

Hoje é dia dos pais. Eu tenho dois pais. Um de quando eu tinha 5 anos. Esse brinca comigo de boneca e me escuta nos meus discursos na hora do almoço. Um de quando eu fiz 12. Esse tem outra família e já não me aceita como sou. Um dia eu sou gorda demais. No outro lenta demais. Em outro, respondona demais. Distante demais. Teimosa demais. Demais demais. Eu sinto saudade de ser sua coisa linda, de dizer "eu amei te ver". "Eu errei por gostar um pouco demais, e amei, será que amei, nem sei". Acabei de chegar do show do Tiago Iorc. Por isso as citações. Me deixou sentida. Temos tempo demais, mas pouco vale o tempo sem você! Agora o tempo já passou, percebe? Agora tenho lembranças,  agora tenho medos, inseguranças. Você parece um estranho que me abraça com braços conhecidos. Um cheiro conhecido, que eu queria que fosse presente em minha vida. Aquele seu perfume. Aquele seu sorriso. Aquela sua barba correndo no meu braço - agora machuca, espinha. Hoje é dia dos pais. Eu tenho uma pãe. Uma mãe que…

Let's go back to the start!

O tempo passa.Para uns, o tempo passa devagar, para outros, rápido demais. Nós não estamos mais na "mesma página". não é mesmo? O que houve nesse lapso que me deixou aturdida? Eramos como unha e carne, como sorvete de flocos e brigadeiro de panela. Mas agora, só resta as vasilhas vazias. Espera! Vazias não! Cheias de memórias. Mas o sumo acabou. Não há mais colheradas para dividir.. O que todos esses anos fizeram conosco? Agora vejo suas fotos, falo com você, mas nada parece ter mais sentido. O que houve? Você não sabe quanto amável você é.

ponto e vírgula;

Uma vez, na faculdade, tinha uma professora que não escrevia com letras maiúsculas. Ela dizia que leu num texto algo sobre ser uma pessoa de letra minúscula. Se ela pode ser uma pessoa de letra minúscula, eu acho que eu posso ser alguém de ponto e vírgula. É, por que, veja bem; Ponto e vírgula é como uma mágica da ortografia portuguesa; Quando você acha que o escritor já não tem mais o que falar dessa situação; pam, ponto e vírgula! E ele ainda acha alguma maneira de continuar. Eu quero continuar. Não me levem a mal as comunidades de pessoas ponto final. Nada contra. Mas eu quero continuar. Ontem, vi no facebook a notícia de alguém que tinha se suicidado. Acabado com a própria vida. Quem faz isso? Você pode ser perguntar. Ela não vai mais escrever nada; isso você pode ter certeza. E eu? Eu quero continuar; continuar a escrever. continuar a viver. Ponto final para mim não basta. Agora só vou escrever com ponto e vírgula;

Meu coração

Meu coração grita por ti. Eu choro lágrimas de anseio. Eu que te deixei ir. Eu que parti para nunca mais voltar. Não deveria sofrer por escolhas minhas. Mas sofro. Choro. Desespero. As palavras vão saindo numa torrente de emoção e de tristeza que eu nunca senti antes. O que aconteceu com a gente? Meu coração está em frangalhos. Como pode ser? Eu te dei tudo que tinha. Tudo que não tinha. E você tomou com suas mãos cálidas e disse que "tudo bem", que estava tudo "sob controle". Meu coração sofre de medo. Como um coração como o meu, pôde amar? Como um coração como o seu, pôde abandonar? Eu assisto filmes, eu escuto músicas, eu leio livros. Mas tudo só me faz pensar em você. Como você tomou controle de mim? Não deveria me deixar? Então vai, não volta atrás. Meu coração está cego. Cego de medo, cego de desejo. Não volte. Nunca pense em voltar. Você não pertence a essa vida de agora. Você é passado. Você abriu meus olhos. Agora eu vejo. Não fomos feitos um para o outro. Fomos feitos …

Eu queria...

Ok, então é isso. A gente nasce, vive uma vida medíocre e morre.  É assim que vai ser? E as aventuras que me prometeram lá em cima, antes de eu vir? Quero ter um dia bom. Um dia que eu me lembre para sempre, aquele dia, "o maior dia" da minha vida. Queria viver sem ter tanto medo. Sem ter anseios. Só viver mesmo. Como posso achar sossego? Como posso dormir em paz? Quando vou cruzar os braços e dormir de verdade, sem medos, sem pesadelos? Quero viver. Quero vir, quero ver. Tenho aqui mil razões para não viver. Mas quero continuar. Eu acho... Será que consigo deixar tudo para trás? Será que consigo continuar vivendo assim, sem sentimentos? Sem emoções? Eu daria tudo para ver o mundo. Conhecer pessoas. Fotografar olhares. Sentir novos cheiros, novos sabores, novas línguas, um novo mundo. Uma nova vida. Mas tudo que eu posso ver por enquanto é a tela do computador, enchendo-se de letrinhas, enquanto teclo rapidamente. Vai ter que ser o suficiente.

Dia da avó

Hoje é dia da avó. Eu não poderia estar mais bem arranjada com minhas avós! Elas são demais. Uma é do interior do Ceará, outra do interior da Calabria, na Itália. Duas interioranas. As duas tem quase nada em comum. Uma é toda pra frente e não gosta de ser chamada de velha, outra é baixinha e tem vergonha de suas capacidades. Mas o que elas têm em comum é especial. As duas gostam de falar! E como falam! Falam de amor, com carinho, de como a vida é bela. (Além das várias doenças que elas têm, elas gostam de falar disso também). As duas me têm como neta. E eu amo-as. As duas! Hoje é dia da avó. Não poderia estar mais feliz com as avós que tenho. As duas me entendem, me dão colo quando preciso e fazem comidinhas gostosas para mim. São duas pessoas espetacularmente especiais para mim. Amo minhas avós. E nesse dia só tenho isso a dizer: obrigada por existirem!

The only one.

Você é único.
Mesmo assim nada parece ser suficiente.
De repente, eu não sou mais suficiente.
Para falar a verdade,
acho que nunca fui.
Quando se sabe o quanto vai ser suficiente?
O quanto de amor,
o quanto de raiva.
Quanto precisa para a gente sair da vida de alguém?
É como o vento que passa silenciosamente pela janela.
Ele não se percebe passando, mas passa.
Com o tempo é assim também.
Acho que estou errada.
Estou sempre errada.
Mas as desculpas não passam de farrapos presos em meus dentes.
O pior é aquela voz na minha cabeça.
Sempre a mesma voz.
Será que é ele?
Eu não aguentaria se fosse.
Mas o amor e o ódio andam de mãos dadas dentro de mim.
Às vezes um fala mais alto que o outro.
Às vezes ouço gritos. Vejo estilhaços.
Eles me cortam com força.
Eu me deito e penso.
É só o que eu posso.
Fazer não está mais no meu alcance.
Como você não percebe?
Quando deixei de ser suficiente?
Foi quando cresci?
Foi quando aprendi a fazer tudo que me mandam?
Foi quando morri por dentro?

I see fire.

Eu vejo fogo. Aonde quer que eu vá. O fogo está lá, a queimar as pessoas ao seu redor. É engraçado como o fogo combina tanto comigo. Como está lá em cada momento da minha vida. O medo de me queimar, o medo de ele apagar e me deixar no escuro para sempre. Talvez eu seja um dos três homens na caverna, olhando para as sombras. Mas e se o fogo apagar e eu tiver que me virar? Para a vida real, para as dores reais. Eu não quero perder o meu fogo. O que faço para prevenir ele de se apagar para sempre? A gente luta lutas impossíveis. É normal. É o fogo falando dentro da gente. É o que muitos chamam de coragem. Mas o meu fogo pode me queimar. Deixar marcas que não somem nunca. Tem que se ter cuidado quando falamos sobre fogo. Cuidado para manuseá-lo. Cuidado comigo garotos, por que eu vejo fogo.

Vamos colorir a vida?

O mais novo vício do momento são os livros de pintura. Aqui em casa mesmo já tem dois. E é viciante mesmo! Você começa pintando uma linha, depois outra, depois mais outra, horas depois e alguns lápis sem ponta o desenho está todo colorido! É meio como a vida, pensando bem. As vezes a gente tá tão viciado na vida que tudo acontece rápido. Passam-se horas, mas você nem percebe! Vai colorindo e colorindo, apontando os lápis rapidamente e colorindo. A vida fica bem pintadinha, combinadinha, plantas verdes com sombras pretas, flores coloridas de rosa, vermelho e amarelo. Várias cores, parece até ter perfume (mesmo que no fundo seja só um desenho), E às vezes a gente tá sem saco. A gente se sente cansado das mesmas cores cinzas no nosso dia-a-dia e não consegue achar uma cor que combine naquele desenho. Tem aqueles momentos que a gente tenta pintar, mas não saí nada. Sua mão treme, seu braço não parece pertencer ao seu corpo, sua cabeça dói e a ponta do lápis vive quebrando o tempo inteiro. Pelo…

Crescer é difícil....

Crescer é das tarefas a mais difícil. Pede maturidade, pede caridade, pede respeito, pede evolução, pede responsabilidade. Eu não sei até que ponto tenho estas características. Sei que tento. Tento com afinco e com carinho, ser a melhor a cada dia. Sei que quero ser melhor. Quero aprender a crescer. Por que, crescer, é uma aprendizagem. E, olha, eu tenho os melhores professores entre todos. Plantar uma árvore, escrever um livro, ter um filho. Já fiz 2/3 do total para ser feliz, para morrer feliz. Não é agora minha hora. Minha hora é sempre. É nunca, é o tempo. Tempo, tempo, tempo, tempo, és o senhor do destino! O tempo passa, passa, e a gente nem percebe. Mas a gente tá lá, vivendo, sendo feliz, sendo triste, só sendo mesmo! Crescer é muuuuito difícil. Exige paciência. Muita paciência, para crescer bem direitinho. Eu desejo a todos que amo todo o tempo do mundo, para que possam amar de verdade, ser de verdade. Desejo a todos que gosto estarem comigo nos momentos importantes da minha vida. Que é se…

Feliz dia das mães!

Ela e eu somos um caso sério. Tem coisa mais difícil no mundo do que conviver com outra pessoa? É difícil entrar num consenso, sempre! Às vezes ela quer as coisas do jeito dela, e outras vezes eu quero as coisas do meu jeito. Mas o nosso jeito não combina! Fazer o quê? A gente fica andando na corda-bamba, tentando achar um lugar em comum, pisando em ovos, tentando fazer nosso relacionamento dar certo! Mas até que dá bem certo... Ela diz que eu sou grudenta. Quer saber? Sou mesmo! Sou um grude só, por que a amo mais do que a mim mesma. Os vários motivos que eu crio para viver todos os dias terminam nela, sempre. Por que ela me dá confiança, de que eu posso, do que é certo, de que eu estou fazendo o certo (ou briga e grita quando eu tô errada). Ela é a confiança que eu tenho em um mundo melhor. Sei que vai ser, por que eu acredito nela. Ela é quem paga as coisas que eu quero, mesmo quando eu nem preciso. Mas ela é também aquela que me dá limites, que eu preciso  tanto - mesmo que eu não gost…

Mas não!

Quando será que vou aprender?Você não é aquilo que eu sempre quis. Eu não sou seu par perfeito. Nós não damos certo. Simplesmente. Meu chá está esfriando e você não fala comigo. Mas isso não vai mais mudar, vai? Eu criei na minha mente uma linda história de amor, e você era a estrela. Entretanto, nada aconteceu. Nem uma faísca sequer... Alguns dizem que tenho dad issues. Talvez tenha mesmo, o que você tem haver com isso? Você poderia ter mudado tudo. Você poderia ter começado me beijando. Mas não.

Saudade que me toma.

Por você, eu iria até o fim do mundo, só para você sentir o meu amor. Mas não dá. O mundo é muito grande, e minhas pernas muito curtas. O que sinto é saudade, palavra que enche meu dicionário, meu vocabulário e meus textos. Não sei como lidar com isso. Sinto sua falta, você não percebe??? Sinto saudade de seus beijos quentes, de seus braços confortáveis, de seu olhar misterioso, de quem não quer nada. Sinto saudade da dor que é amar. Do sofrimento que era TE amar. A saudade é como um trem que partiu de muito longe, e viaja muito rápido. Por que minha dor de sentir sua falta é assim, vem de longe, e é rápida, vai crescendo exponencialmente. Quero sentir o gosto do seu gosto, o cheiro do seu cheiro, quero sentir a alegria de te ver, a dor de te ver partir. Por que se te vejo partir, sei que vais voltar. Sinto falta dos anos dourados que a vida adulta tirou da minha adolescência. Sinto saudades, saudades mesmo, não é só a falta. Por que a ausência somente não explica a saudade. A ausência é só parte…

Hoje...

Hoje, dia seis de abril de 2015 é um dia muito especial. Hoje o céu se abriu e deixou descer um anjinho para que cuidássemos. Hoje Deus se alegrou com sua chegada. Hoje nós ficamos em êxtase com sua beleza sem igual. Hoje tivemos a constatação de que existe bondade no mundo, por que você a trouxe até nós. Hoje o mundo me deu mais um sentido para viver. Hoje nasceu uma vida de oportunidades. Hoje um serzinho aumentou a família. Hoje ela me ajudou a compreender que "o que há de melhor está na vida". Hoje eu me senti especial por fazer parte dessa história tão singular. Hoje eu sei que o mundo ficou mais belo e colorido. Hoje nasceu minha prima, Maria Clara!

Ele e ela.

Ele chegou do nada, tocando a campainha que não funcionava. Ele sabia que ela estava ali, esperando por ele. Ela estava sempre esperando por ele. Sempre. Ele entrou de fininho, pensando em surpreendê-la. Mas ela estava contando com aquilo fazia muito tempo. Um momento para passarem juntos. - Olá? Ele reconhecia toda a ansiedade em sua voz. Ele não lhe ligava havia dias. Sua agonia estava cada vez maior. Seus desejos estavam sem limites. E por seus eu digo dos dois. Os dois esperavam por aquele segundo de atração. Ele não falou nada. Ele entrou no quarto e a encontrou deitada na cama, lendo aquele livro que há dias a emprestara, de novo e de novo, ele supunha. - O que você está fazendo? Ele não tinha intenções de responder. Ele largou então as flores que trazia no chão. Elas caíram em um baque silencioso. Não fizeram tanto estardalhaço quanto deveriam ter feito. Eram só um mero detalhe vermelho na paisagem mal-iluminada. Ele via o fim de tarde caindo o sol pela janela grande do quarto. Estava c…

A mente prega peças.

Você já se pegou pensando naquele que disse que um dia esqueceria? Acontece que esse dia ainda não parece ter chegado e seus pensamentos vagam distantes, em busca de não-se-sabe o quê. Okay, eu sei o que é. Em busca de você. Mas você não está mais lá. Acho que talvez nunca esteve. Esteve? Acho que se pudesse ter sua resposta tudo se tornaria mais calmo. Mais tranquilo. Mais plausível. Mas você é incapaz de me dar um retorno, uma palavra sequer. Você é incapaz de me dar paz. Quando vou aprender que o mundo é duro com quem espera muito? Que a vida é injusta com aqueles que mais amam. São também os que mais sofrem, e não é coincidência. Será que você vai aparecer algum dia? Algum dia sequer, chegar e dizer oi de livre vontade, puxar assunto... Estar vivo dói. Mas estar não vivo dói muito mais. E é nisso que eu me pego. Viva. Só não viva a custa de quem não pode muito te dar. Jogue. Só não jogue com os sentimentos daqueles que te amam. Seja. Tudo, menos egoísta. Menos insensível. Cante, mas as cançõ…

Como eu queria...

Eu queria escrever palavras belas. Queria saber tocar seu coração. Acabar com todo o sofrimento. Mas não posso. Não sei como. Só sei que dói. Estou deixada sozinha no escuro. O preto me domina. Domina minha áurea, domina quem sou e o que quero ser. O preto, que é a ausência de todas as cores. É a ausência do seu amor, do seu carinho. É a dor que existe dentro de mim.

Amizade à distância!

- Quanto vale uma amizade à distância? - Foi o que perguntou uma amiga que mora longe. Fiquei confusa de começo. Afinal de contas, o que é a distância? É o espaço a ser medido que separa duas pessoas? A saudade que dói no fundo do coração? Não, distância não é nada disso. Distância não passa de um nome diferente para amor, para amar. A amizade verdadeira não mede distância, não mede dificuldades, não mede meias palavras. Não mede sofrimento e dor. Mede somente alegrias e risadas. Amizade à distância pode ser real. É real! É tão real, é tão palpável quanto aqueles que se veem todo dia. É passar por tudo sozinho e ter saudade do carinho. É sentir falta do abraço, mas ainda assim ser amigos. Amizade à distância não é difícil, não dá trabalho, é só amizade e pronto. Ter um amigo à distância é ter uma parte de si conhecendo o mundo por você. Vivendo por você, em outra parte do mundo. É plantar sementinhas de amor nos corações alheios. É sentir que, em algum lugar, há alguém esperando por você, sen…