Feliz dia das mães!

Ela e eu somos um caso sério. Tem coisa mais difícil no mundo do que conviver com outra pessoa? É difícil entrar num consenso, sempre! Às vezes ela quer as coisas do jeito dela, e outras vezes eu quero as coisas do meu jeito. Mas o nosso jeito não combina! Fazer o quê?
A gente fica andando na corda-bamba, tentando achar um lugar em comum, pisando em ovos, tentando fazer nosso relacionamento dar certo!
Mas até que dá bem certo...
Ela diz que eu sou grudenta. Quer saber? Sou mesmo! Sou um grude só, por que a amo mais do que a mim mesma.
Os vários motivos que eu crio para viver todos os dias terminam nela, sempre. Por que ela me dá confiança, de que eu posso, do que é certo, de que eu estou fazendo o certo (ou briga e grita quando eu tô errada). Ela é a confiança que eu tenho em um mundo melhor. Sei que vai ser, por que eu acredito nela.
Ela é quem paga as coisas que eu quero, mesmo quando eu nem preciso. Mas ela é também aquela que me dá limites, que eu preciso  tanto - mesmo que eu não goste.
A gente briga,mas a gente também se diverte juntas, e como! Quando a gente briga, a gente briga mesmo. Mas quando a gente se ama é lindo;
Não gosto de vê-la chorar, ou quando ela revira os olhos até ficarem brancos. E das duas formas eu vou dizer, "pára mãe!".
Ela me ensinou que o amor tem que ser espontâneo. E me lembra disso sempre que eu perguntou - só por perguntar - se ela me ama. "Tem que ser espontâneo, Gabi!".
Mas eu SEI que ela me ama. Por que ela demonstra. Ela saí comigo quando eu preciso estar fora de casa - que é quase sempre, odeio ficar em casa.
Ela não gosta das minhas músicas, mas até que atura quando sabe que é só assim que eu consigo dormir. Ela ouve até Natiruts gente!
A gente canta e se corrige. Ok, eu corrijo ela, e ela ri de mim cantando, é mais ou menos assim, mas funciona, confie em mim.
Porto seguro, ela é sempre confiante e segura de si. Ela faz eu sonhar e segura minha mão na hora de rezar, para eu não ter pesadelos!
.A que EU escolhi para ser.Ela é minha mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher