Fantasia

A cada dia percebo como vivo num mundo de fantasias. Ou melhor dizendo: como a maioria dos adolescentes vive num mundo de fantasias. Como somos elitizados. Como minha concepção de mundo (que eu sempre achei ser solida, concreta, crítica, real) é pura fantasia. São apenas as sombras que vejo dentro de minha caverna, sombras altamente selecionadas. E como é assustador quando saí o sol e as sombras somem, deixando-nos livres para se virar e ver o "real". Agora, só agora, consigo entender o que dizia Platão.
É tudo sombra.
Aos poucos, as amarras vão soltando e, com muita dificuldade, vou me virando, saindo da caverna. Não sem medo. Se mesmo as sombras já me davam certos calafrios, que tipo de monstrons podem existir lá fora? Mas é como as aulas de física sobre campo elétrico. Mesmo que a matéria seja um saco, que o professor não saiba ensinar, que não estejamos entendendo nada, mesmo assim nós não conseguimos dormir, ficamos lá, olhando para a cara dele, esperando alguma coisa fazer sentido.
Logo, mesmo por mais complicado que seja, acabo virando a cabeça, para tentar ver a "realidade".
Mas não consigo deixar de pensar que é tudo fantasia.
Se, de repente, tudo o que eu conheço é mentira. E agora? No que acreditar? Em quem acreditar? Fica um pouquinho mais difícil, confessem.
Fico me sentindo uma boba no meio dessa situação. E eu odeio me sentir uma boba.
E o por que de toda essa enrolação? Simples: Surpresa.
A gente nunca conhece ninguém o suficiente. Temos a impressão que sim, mas é só impressão mesmo, acreditem. Descobri hoje que não precisa muito para nos surpreendermos com as pessoas. Sejam surpresas boas ou ruins.
E o que acontece com a juventude de hoje em dia? Todo mundo tá sempre mudando, nos surpreendendo, nos desapontando. Transformando tudo em sombras.
Fantasias. Achava melhor quando eu acreditava que elas eram realidade, de boa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher