Já é hora de acordar,

Mas eles estão ficando fortes.
Os sonhos estão cada vez mais intensos. Não preciso mais dormir para vê-los. Me assombram até mesmo quando estou bem acordada. Mas como distinguir os sonhos da realidade? Se misturam numa névoa densa de pensamentos, que vagam por aí incertos.
O engraçado é que o telefone sempre toca nesses momentos.
- Vou para casa hoje.
Ótimo. Gosto dela, de sua companhia. Mas me sinto hipócrita perto dela. Não quero deixá-la triste, mas também não posso mentir. "Não está tudo bem", mas eu não posso dizer, não posso estragar os únicos momentos que temos juntas. Vou tentar não ver o que meus olhos me imploram para que veja. Afinal, nem sei mais separar a verdade da fantasia.
Entretanto, não posso parar de tentar. Amo muito ela.
Enquanto isso, aqui estou eu, escrevendo. Dando vida às minhas loucuras. Mas está decido, escrever é o meu remédio. Unindo o útil ao agradável. Até por que, como dizem, de médico e louco, todo mundo tem um pouco.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher