Fácil (?)

Obs.: Este poste se trata de um desabafo desgastado e aborrecido, assim sendo, os que vieram aqui atrás de lindas histórias de amor com final feliz, aperte Ctrl+shift+W e volte quando achar que deve. Aos demais, bom... Eu avisei.

Por que é REALMENTE muito fácil. Digo, ser adolescente, ser irresponsável, ser fútil, achar que o mundo inteiro cabe em nossas mãos. Pensar que tudo passa, que podemos sempre voltar no tempo e que tudo pode ser consertado. Quer saber de uma coisa?
Não.
NÃO é fácil, a vida não é fácil.
Ser adolescente é uma merda, ser irresponsável agora pode ser muito pior lá na frente, por que enfim, ACORDA, um dia todos nós vamos crescer, querendo ou não. Todos nós vamos ter que tomar decisões. Vamos ser alguém na vida, vamos ser importantes no mundo, mesmo que a gente nunca perceba.
E não, o mundo NÃO cabe em nossas mãos. Ser fútil, parecer fútil, e, ainda mais, BUSCAR a futilidade como quem busca felicidade, não vai adiantar. Nunca vamos saber o suficiente, nunca vamos estar bem o suficiente, ter o suficiente ou ser o suficiente para a sociedade.
As coisas não são fáceis.
E não, não existe uma máquina do tempo. Elas são realmente apenas ficção, pertencem aos filmes e não vão sair de lá por nada, nunca.
E se já se cansou de ler "não", se prepare, por que ainda vem muito mais "não". Viver em si já é uma negação. Como já diz a música "a gente mal nasce, e começa a morrer". O que é isso se não um negação? A existência, a evolução, a perfeita disposição das coisas no espaço, no tempo. Não entendemos absolutamente de nada.
Mas o que parece é que estamos sempre tentando descobrir. E para quê, pergunto eu?
Acertar realmente é difícil, mas não é impossível! Mas errar, errar sim, é bem fácil. É só ir errando, errando e errando e esperando tudo se concertar como num passe de mágica, não é mesmo? Não, não é.
Errar é humano, mas não é o que todos gostam, não é o que as pessoas aceitam. Não é ético, não é nada. A não ser, claro, humano.
Agora, se tem uma coisa que é fácil, todos usam e abusam enquanto podem. Falar.
E, minha nossa, como adolescentes falam! Falam e falam e falam, como se pudessem mudar o mundo. E, por mais que digam os adultos, por enquanto, a gente não pode mudar o mundo.
Mas tudo bem, é tão bonito falar. Dizer coisas que soam legais, soam inteligente, soam politicamente corretas, soam como se fossemos boas pessoas.
Na minha opinião? Não somos nem pessoas ainda.
As crianças? Elas sim são pessoas. Elas vivem suas próprias vidas, tem seus próprios valores, são verdadeiras e vivem a vida num eterno gozo, onde tudo está sempre bem.
Os adultos? Não sei, nunca fui um. Tenho meus modelos, isso tenho, mas não passam disso, modelos.
Agora, adolescentes? Nunca vi "raça" para se preocupar tanto com o alheio. Mais até do que com si mesmo. Por que estamos sempre querendo seguir nossos modelos. Parecer correto. Essa é a grande busca da maioria dos adolescentes, parecer correto. Mas que po*** sabemos nós, para separar o que é certo e o que é errado, quem somos nós, para julgar, para brigar por causas, para qualquer coisa que não seja descobrir o mundo em que vivemos?
Sinceramente? A vontade que tenho é mandar todo mundo tomar lá mesmo (mãe, que culpa tenho eu de ter um blog que a senhora lê?) e cuidar da própria vida.
Por que dá MINHA, já tem gente demais cuidando! Não preciso de outra mãe que não seja a minha, não aceito levar carão de ninguém mais que ela, aliás. Não quero nenhum outro modelo além dos que já tenho. Não preciso de que ninguém me diga o que é certo ou o que devo fazer. ISSO nem a minha mãe consegue. E olha que ela tenta muito!
Não sou muito de ter raiva. Mas está aí uma coisa que me deixa put**** da silva é alguém fazer uma das coisas acima. E deixa MESMO. Tipo como eu estou agora, por exemplo.
Conclusão: melhor ir parando por aqui.

Comentários

Também fico p*! por tantas coisas, ai, ai...

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher