Como será que é?

Digo, morrer. Todos tem várias suposições. Várias certezas. Céu e inferno. Alma. Terra, degeneração. Mas em quê devo acreditar? Como podem eles ter tanta certeza, se nunca morreram?
Confuso, não é mesmo?
Sem falar do medo, que todos cultuam, da morte. Por que tanto medo? O que tanto assusta? Nem ao menos sabemos como vai ser! Mas tudo bem, é como ter medo de escuro, eu acho. É exatamente não saber o que vamos encontrar que nos assusta.
Nós sabemos com detalhes tudo o que fazemos em vida. Somos os únicos que sabemos, de nossos erros, pecados e até mesmo o que chamam de "maus" pensamentos. O pior julgamento que existe não é quando morremos, mas o que nós mesmos fazemos de nossas vidas, apenas ao olhar para trás. Até mesmo o mais ignorante dos homens sabe distinguir o "certo" do "errado". Claro, existem variações de conceitos para essas palavras. Mas o básico é comum a todos, basta ser racional.
Há muita gente que tenta enganar a morte. Disfarçar a idade, procurar meios de se proteger de "situações de risco", fugir de qualquer coisa suspeita. Como se fosse adiantar. Como diz minha sábia avó: "Quando tem que ser, vai ser". Não importa nossas vontades.
Afinal, alguém te perguntou se queria nascer?
Pois é. Por que com a morte seria diferente?

Comentários

Bom, eu não tenho medo de morrer. Também não tenho pressa. Nem tenho certezas. Nem previsões. Tenho só a boa e velha vida pra ir morrendo.

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher