Só para constar

Ele nunca me notou.
Aliás, eu também nunca dei muita importância a sua existência. Não posso mentir, era indiferente mesmo. Sempre gostei de atenção, estar no foco de tudo. Conhecer todos, saber de tudo, ver e ser vista. Comentar sobre a vida alheia e ser assunto dos outros. Ser convidada para as festas, tirar fotos com todos, esnobar os outros. Ok, é tudo verdade.
Mas muita coisa aconteceu de lá pra cá. Embora não faça muito tempo, posso dizer que muito aconteceu. Deixou de ser o suficiente, a adrenalina do "centro de tudo", as festas, as polêmicas, as coisas escondidas, proibidas, as futilidades. Simplesmente deixou de ser o suficiente, de fazer sentir aquele êxtase.
E agora? Passei a ser uma pessoa "normal". Daquelas que eu era acostumada a menosprezar, pois é, essas mesmo, agora são as pessoas que ainda falam comigo e que fingem que eu tenho a mesma importância de antes.
Mas quer saber de uma coisa? Talvez assim seja melhor. É mais calmo, com toda certeza. Mais tempo sozinha, mais paz.
E ele nunca me notou. Claro...
Digo, sempre foi recíproco. Mas então, um novo corte de cabelo e eu percebi.
Eu percebi. Achei legal até. Diferente. Notável.

(Nota: texto escrito em 23/05/2010)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher