Se estiver me escutando...

Então me bate como um furacão. Oh no! Você não existe.
No final das contas, acho que eu é que estou no olho do furacão. Você aparecer foi somente um bônus. Mas, agora, que a chuva passou, percebo que não passou de um belo sonho. Ou foi um pesadelo?
Ainda acho difícil classificá-lo: Chuva ou Sol? Realidade ou fantasia? Amor ou Vingança?
Mas, sabe de uma coisa? Seja a opção que for, acho que me acostumei com sua presença, às vezes até fico pensando qual sua opinião sobre qualquer coisa que vou fazer.
Será que, mesmo depois de tanto tempo, você ainda acha que sou aquela pessoa horrível que você conheceu há anos? Mesmo depois de todas as nossas conversas? Mesmo depois de tantos pedidos de desculpas? Mesmo depois de te provar que cada coisa que faço é simplesmente para me redimir?
Eu amo você. Sinceramente, de todo o meu coração. Sei que não lê blogs na internet, mas sei que está comigo, aqui, dentro da minha cabeça, enquanto escrevo esse texto. Ou é você escrevendo por mim? Ás vezes isso me confunde.
Sinto muito por qualquer coisa que tenha sofrido. Sinto muito pelo quanto ainda sofre. Você precisa se libertar. Foi o que fiz, sabe? Viver outra vida, conhecer gente nova, essa vida pode ser tão linda, se quisermos. Você já se explicou, sei que está pronto.
E eu sei que continuaremos juntos. É nosso destino.

Mas, se é o que precisa ouvir: Me perdoe. Eu não estou querendo que você vá embora. Só quero que encontre a paz de que tanto precisa. Talvez assim nós dois possamos achar a felicidade, a luz no fim do túnel.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher