Quem vai salvar meu mundo essa noite?

Quem quer que seja que vai salvar meu mundo essa noite, apareça, por favor. O mais rápido possível, se apresente e diga "vai ficar tudo bem".
Mas quem eu estou enganando? A única que pode salvar meu mundo sou eu. Escute-me agora: eu vou me trazer de volta à vida.
Eu não posso mais deixar minha felicidade em mãos alheias de mim. Não basta estar viva, é preciso viver também. Tomar conta da sua vida. Da minha vida, eu cuido. Mesmo que eu ainda não saiba exatamente como fazer isso.
O céu está cheio de astros, mas não é deles a culpa de tudo que sou. Não. Eu sou a culpa de tudo que sou. Você não pode iluminar minha vida como eu própria. Não pode me dar azar ou sorte, não se eu não decidir que você pode.
Se aceitar talvez seja o maior de todos os desafios. E por muito tempo, eu não era meu lugar preferido. Talvez ainda não seja.
Eu sou cheia de defeitos e exigências extraordinárias. Não sei lidar muito bem comigo mesma. Mas não posso pedir para ninguém mais me salvar. Todos já fizeram suas partes, (ou não, e não os culpo por isso) agora é comigo.
Acontece que eu ainda não sei muito bem o que fazer (o que ser, na verdade, também não sei). Sei que preciso sair do lugar. Sei que meu lugar não é aqui onde estou, por que não estou feliz com ele. Não me sinto confortável. E a gente precisa estar sempre confortável. Cada um sabe onde o sapato aperta o calo. Eu nunca soube. Eu tomava pra mim o calo dos outros. Por muito tempo calcei sapatos que não cabiam em mim, sapatos que não eram meus. Por que eu fazia isso?  - taí, não sei!
Quero dançar na cara daqueles que me fizeram chorar. Mas, no momento, só consigo é chorar suas dores. Dores do tempo. Não as quero mais. Não faz mais sentido no meu mundo chorar por você.
Você escolheu cada um de seus caminhos. Não foi culpa minha. Me desculpe, mas não há nada mais que possa fazer. Não foi culpa minha (repetir para ver se pega). Você não faz mais sentido para mim, pode ir embora, por favor.
Não me redimindo nem um centavo da minha dívida, não mesmo, mas a minha dívida eu estou pagando sozinha, então por que me endividar com suas escolhas? Me deixe. Não há nada que eu possa pagar por você.
Quando a gente ama, dói deixar passar. Mas é inevitável. Não posso mais deixar-me sofrer por você. Vou sempre lembrar, claro. Mas não posso mais aceitar sua opinião.
Tomara que, um dia, você perceba como eu lutei para não me afastar. Como lutei para te amar.
Eu sofri a sua batalha. Deixei-me derrotar numa luta que não era minha. E chegamos até aqui. Eu cheguei até aqui. Sozinha. De que valeu sofrer por você?
Essa noite, ou não, talvez na próxima, mas quem vai salvar meu mundo, você pergunta? Eu mesma!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher