5 coisas sobre mim que talvez você já saiba

Eu nunca sei o que dizer quando vou começar um post. Sempre fico sem jeito. Mesmo sendo só o computador e eu, mesmo que seja o meu blog. Estranho? Deve ser. Mas eu sempre acho que devo dizer "oi", e depois penso que não ficou legal. Enfim...
Eu ganhei um meme! :) Fui tentar explicar para minha mãe o que era, antes de ela encaminhar para mim, e me enrolei toda, então fui logo ao Google buscar ajuda para não me enrolar aqui.
Meme: uma unidade de evolução cultural que pode de alguma forma autopropagar-se.
Então vamos lá. A tarefa é aparentemente simples: 5 características que me definam. Pisou bem no calo da ferida. O que me caracteriza? :S
  1.  Eu ocupo espaço. Isso mesmo, você não leu errado não. Acho que a coisa que mais me define é essa. Eu ocupo espaço ora. Por que não me é suficiente existir, preciso ocupar espaço. Espaço e tempo. Eu ocupo-os. Ocupo o meu tempo e o de outras pessoas também. Pensando bem, há coisa melhor?
    Eu arranjo motivo para ligar para as pessoas, quando não tem. Eu arranjo tempo para falar bobagem mesmo quando não tem. Eu perturbo, perturbo e vou perturbando até enjoar da cara da pessoa (o que não ocorre com frequência, vale dizer). Eu vou ocupando os meus espaços e o tempo dos outros. E eu tenho muitos espaços. Sou cheia deles. São como lacunas da minha vida, que preciso encher. E as encho com pessoas. Por que eu amo pessoas. E tudo que isso possa implicar. Amo conhecer pessoas novas e amo matar as saudades das antigas. Amo pessoas MESMO. Amo ver pessoas, conversar com pessoas, pensar em pessoas, sonhar com pessoas. Viver com pessoas, saber da vida das pessoas. Eu sou assim. Amo pessoas. Então preencho meus espaços com o tempo das outras pessoas. Na família, no colégio, na academia.... Eu gosto de tomar tempo e ocupar espaço. Gosto que todos me conheçam, gosto de fuzuê, gosto de barulho e de brincadeira, gosto de risada e de companhia. Eu ocupo espaço, sabe? E gosto.
  2. Mas as vezes também gosto do silêncio e da solidão. Cultivo-os dentro de uma caixinha pequenininha, para não deixá-los crescer, mas os tiro de lá, de vez em quando ou de quando em vez, para curti-los um pouquinho. E isso requer muita paciência e cuidado. É uma coisa minha e somente minha, que não quero dividir com vocês. Pelo menos não agora, ok?
  3. Acho que deu para perceber que eu sou contraditória. Nunca gostei de me definir. Tenho medo de rótulos. Acho que fazer essa lista já me é meio macabro. É como se, dizendo quem ou o que sou, precisasse ser sempre aquilo. E, muito frequentemente, mudo. Simples assim. Acho que está tudo errado, faço tudo diferente, volto pro início, que aquilo lá é que era certo mesmo. Eu gosto de ser assim. Assim, posso ser o que eu quiser, todo dia. :)
  4. Eu sou estudante. E em todos os sentidos da palavra. Fiz isso a minha vida inteira e não sei fazer mais nada. Fico tentando ligar as coisas que aprendo o tempo inteiro, no meio da rua mesmo sabe? Fora da escola tudo o que a escola me ensinou parece mais divertido. Mais usual. E gosto de ser estudante. Gosto de andar por aí com a farda, com as apostilas na mão, falar dos professores, etc. Gosto de ir perguntar questões para os professores na hora do intervalo, gosto de comparar nota de provas, gosto de fazer trabalhos de grupo. Gosto de ser líder de sala, de achar que sou importante, gosto de conhecer todo mundo da sala, saber o aniversário e cantar parabéns para todos. Gosto da bagunça, até. Gosto de fazer grupo de estudo e gosto de dar aula para os amigos na recuperação. Gosto de que venham me perguntar coisas. Gosto de ler, em voz alta, para fazer exercício, quando o professor pede, quando não pede, principalmente. Gosto de conhecer os professores, o ponto forte, o ponto fraco, a vida pessoal, o estilo. Gosto de ser estudante, ora mais.
  5. Sou blogueira. Sou por que amo isso que é a blogosfera. Por que, tal Clarice, quando fico sem escrever, parece que estou morta. Hiatos são coisas insuportáveis para mim. Viver e escrever andam bem juntinhos. E o blog é como se fosse minhas entranhas. Onde guardo os segredos mais intímos, onde falo tudo o que quero e penso. Por que escrevo, e isso me basta. Mas postar e receber comentários sempre deixa a vida mais feliz!
 Own. Amei. Pensei que fosse ser mais difícil. Deve ser só charme mesmo, por que, quando me sento para escrever, tudo sai com a maior naturalidade do mundo, como se já tivesse tudo preparado na cabeça antes mesmo de começar. Eu teria que dizer alguém para continuar a brincadeira, mas deixo a critério de vocês. Se acharem legal, como eu achei, façam ;)
E deixem viver o meme.
Muitos beijos!

Comentários

Belos e Malvados disse…
"Viver e escrever andam juntinhos". Achei lindo isso e assino embaixo. Beijos.
Anna Larissa disse…
Own essa minha amiga Clariciana e espaçosa que amo muito ^^

O blog ta lindo demais da conta! E como eu sou ruim! Só to comentando aqui agora aasushuhsa mas eu te amo muito *-*

Dar aulas pro amigos em recuperação...Conheço bem isso uhasash

Bjus
rosanaiorio disse…
Olá minha doce, meiga, carismática, iluminada, fabulosa e... tantos outros adjetivos do bem, Gabi!!!
Eu sim!!!!
Descobri seu novo blog e fiquei encantada com suas leituras, suas expressões, suas escolhas de ídolos, temos muito para conversar.
Você sempre teve veia de escritora, lembro ainda do seu primeiro livro e o tenho guardado, penso que está na hora de fazermos a edição que você tem guardada na gaveta e penso mais; se ler e escrever estão nas suas entranhas, você deve se preparar para motivar tantas crianças que entendem estas atividades como obrigação e chegam a dizer que ODEIAM.
Tenho também um comentário sobre TEMPO: o presente é um PRESENTE que está intimamente relacionado com o MERECIMENTO DO QUE FOMOS NO PASSADO e o futuro você não precisa ficar pensando, pois ele virá normalmente como UM PRESENTE de merecimento do HOJE(PRESENTE) que você aceita e aprende a agradecer par merecê-lo DA FORMA QUE VOCÊ REALMENTE DESEJA, é mais ou menos isso rsrsrsrsrsrsr
Te amo de paixão, desde o primeiro sorriso, quando você saiu das entranhas de sua mãe feito um raio de luz.

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher