All that i wanted

Adoro ouvir Coldplay, eles me deixam assim, anestesiada, sabe? Eu não penso como deveria, não ajo como deveria, não sou quem deveria.
Sou eu mesma.
Mas ser eu é algo errado. É algo secreto e tenebroso que não deve ser comentado. É sujo, é desajustado, é feio.
É como os políticos da TV. Que deveriam ser, deveriam agir, deveriam ter, deveriam, deveriam, mas não são. Aliás, até que são, agora, que estamos em ano de eleição.
Eu vivo assim, como a política. Estável, como "deveria" ser, por um longo tempo. Mas aí é  vem aquele ano e tudo se parte. Tudo se quebra. Tudo fica instável de novo. Tudo vira uma bagunça que eu não posso controlar.
Tudo é cinza e preto. Preto e cinza. Quem dera fosse tudo nude, tudo fashion, tudo "tudo".
O colégio é apenas uma memória boa de uma história infantil sem vírgulas e pontos. Mas a faculdade não. A faculdade é toda ela cheia de vírgulas e pontos. Pontos e vírgulas, as vezes parenteses, reticências... É tudo confuso.
E as escolhas, na minha vida, como em ano de eleição, vão ficando turvas. Em quê acreditar? Qual é o que mente menos? Quem é que mente menos?
Como ter coragem de escolher algo assim tão absurdo?  E, ao mesmo tempo, como não escolher? Escolher o que, no lugar, então?
Confuso. Bem vindo ao meu mundo.

Tudo que eu queria era saber.



Comentários

Amo Coldpaly também e muitas vezes me sinto assim como você, sempre que precisar é só ligar que eu vou correndo lhe ajudar, prima!

Postagens mais visitadas deste blog

Ablepsifobia

Sophie Kinsella

Ser mulher